banner_immuno2018
3 janeiro, 2016 • 7:00 Enviado por IBA FMRP-USP

Células TCD4 de memória residentes e o sucesso na imunidade protetora

Se tem algo que chama atenção nos
estudos que envolvem a resposta imune contra patógenos é o que leva alguns
indivíduos a desenvolverem doença, enquanto outros são resistentes. Certamente,
essa relação é multifatorial e leva em consideração desde a natureza do
patógeno até o sistema imune do hospedeiro.
Em modelo experimental de
camundongo C57BL/6 infectado com Leishmania
major
, esses animais apresentam imunidade contra reinfecção após a
resolução da infecção primária pelo mesmo parasito, considerados camundongos
imunes. Aspectos como esses levam a uma discussão dos fatores envolvidos no
sucesso terapêutico e desenvolvimento de vacinas.
Dentre esses fatores, o trabalho
de Glennie e colaboradores (2015) focou na população de células TCD4 de memória
residentes no tecido, essas respondem imediatamente após a reinfecção, além de
recrutar mais células da circulação para o local da infecção. No modelo de
infecção intradérmica na orelha por L.
major
, interessantemente, essas células estão presentes também em locais
distantes do sítio primário em camundongos imunes, produzindo IFN-gama e, assim, conferindo
proteção.
Ao serem transferidas para um
camundongo naive, essas células TCD4 residentes de doadores imunes, específicas
para L. major, são detectadas até 4
semanas após a infecção, produzindo IFN-gama e quimiocinas para o recrutamento
de mais células, o que faz com que esses animais se tornem resistentes a uma
nova infecção.
É interessante transpor para
infecções em humanos, sobretudo em áreas endêmicas, onde há constante exposição
ao mosquito e infecção com o parasito. Nessas áreas em que o desenvolvimento de
vacinas é uma medida profilática fundamental, deve ser considerada, não apenas
a geração de células T de memória circulantes, mas também de células de memória
residentes, proporcionando um rápido controle da infecção e uma forte resposta
imune, impedindo a disseminação do patógeno.
Referência: Nelson D. Glennie, Venkata A. Yeramilli,
Daniel P. Beiting, Susan W. Volk, Casey T. Weaver, and Phillip Scott.
Skin-resident memory CD4+ T cells enhance protection against Leishmania major
infection. Journal of Experimental
Immunology
. Vol. 212 No. 9 1405–1414. 2015.
Post de Alynne Karen Mendonça de Santana (doutoranda em Ciências da
Saúde, Universidade Federal de Sergipe).