banner_immuno2018
8 setembro, 2014 • 5:00 Enviado por Daniel Manzoni de Almeida

Alguns dados sobre a avaliação do letramento científico do brasileiro


O saber de como uma população aprende ou lida com o
conhecimento científico apresenta diversos nomes. Um deles é o Letramento Científico (LC). Esse conceito é derivado do tradicional conceito do Letramento (que
envolve alfabetização básica) e se define como a habilidade básica de ler,
interpretar, julgar dados, assuntos e conhecimentos científicos. Podem ser
exemplos dessas habilidades no nosso cotidiano a interpretação de bulas de
remédios; o entendimento das tabelas de composição de alimentos; a interpretação
de gráficos de consumo de energia elétrica; ou a capacidade para argumentação
na discussão social sobre questões como o uso de células tronco, organismos
transgênicos ou uso de animais para experimentação científica.
Como estaria o índice de Letramento Científico de uma população brasileira1?
Para desenvolver a avaliação, um esforço conjunto foi realizado através da parceria entre o Instituto Abramundo; o Instituto
Paulo Montenegro, responsável pela ação social do Grupo Ibope e a ONG Ação
Educativa. Ele resultou na divulgação do relatório com os resultados
do estudo sobre o tema, em Junho de 2014, e divulgada, também, pela revista Ciência Hoje2.
Para a pesquisa foram criados níveis com a finalidade
de classificar os resultados de letramento científico após o público realizar avaliações.
Essas avaliações consistiram, principalmente, em expor as pessoas a algumas
informações científicas ou pedir a elas para realizarem a interpretação de
gráficos para a tomada de decisão na vida cotidiana: como fazer uso de um
remédio, lidar com gráficos da conta de energia elétrica até desafiá-las a
analisarem dados um pouco mais complexos, como analises de variações climáticas.
Assim, o significado da classificação para avaliar o LC foram: nível 1
correspondendo a ausência de letramento científico; nível 2 e 3, que correspondeu
a uma zona intermediária de letramento; nível 4 que correspondeu a proficiência
em letramento científico.
 De forma geral,
os resultados mostraram índices preocupantes
sobre o letramento científico. Como um dos resultados evidenciados na pesquisa,
a grande maioria dos brasileiros acham que a ciência é importante. Porém, os
resultados também mostraram que a grande maioria dos avaliados possuía níveis
intermediários ou baixos de letramento científico. Das 2002 pessoas avaliadas,
79% apresentaram índice de letramento científico intermediário (em níveis
elementares com 48% ou básicos com 31% e 16% dos estudantes apresentaram nível
de letramento científico ausente) e apenas 
5% da população avaliada apresentou proficiência para o letramento
científico (ver tabela).
Para saber mais:
  1. Indicador de Letramento Científico. Relatório
    técnico da edição de 2014. São Paulo, Junho 2014.
  1. GARCIA, M. Brasileiro: analfabeto ‘científico’? Revista
    Ciência Hoje. Agosto de 2014.