banner_immuno2018
20 janeiro, 2016 • 12:06 Enviado por Andrea Teixeira

Eosinófilos e IL-4 Suportam o Crescimento de Nematódeos que é Coincidente com uma Resposta Inata à Lesão Tecidual

Recrutamento de eosinófilos durante a infecção murina por Trichinella spiralis. Seção representativa de músculo esquelético contendo larva de T. spiralis, envolta por infiltrado inflamatório. O tecido está corado pelo vermelho do Congo para identificar a presença de eosinófilos, destacados por setas na micrografia. Fonte: Adaptado de Kichul Shin et al. J Immunol 2008;180:4885-4891. Copyright © 2008 by The American Association of Immunologists.
Eosinofilia é um achado central de imunidade Tipo 2 induzida durante a infecção por helmintos. Embora estudos iniciais mostrassem que os eosinófilos poderiam aderir e promover danos a larvas de helmintos in vitro, um papel mais definitivo para esse tipo celular durante infecções helmínticas permaneceu obscuro por muitos anos. Contudo, estudos recentes sobre novas atribuições dos eosinófilos demonstram sua participação na regulação do metabolismo e na remodelação tecidual. Esses dados sugerem que os eosinófilos funcionariam como células reguladoras capazes de modular processos desencadeados durante infecções helmínticas.
Estudo recente publicado na revista PLOS Pathogens, liderado pelo grupo da Dra. Judith A. Appleton do Baker Institute for Animal Health, College of Veterinary Medicine, Cornell University, Ithaca, New York nos Estados Unidos, investigou mecanismos eosinófilo-dependentes que promovem o crescimento de larvas de Trichinella spiralis. Os pesquisadores encontraram que o crescimento larvário é independente da imunidade adaptativa e requer sinalização IL-4/STAT6 em eosinófilos, que é suficiente para suportar o crescimento das larvas em camundongos IL-4 competentes. O perfil do transcriptoma dos músculos infectados dos camundongos sugere que os eosinófilos promovem crescimento larvário por suprimirem a inflamação local e aumentarem a captação e metabolismo de nutrientes. A redistribuição do transportador de glicose 4 (GLUT4) e a fosforilação de Akt foram observadas nas células, o que é consistente com o aumento da captação de glicose e estoques de glicogênio pelas larvas.
Os dados são compatíveis com um mecanismo onde eosinófilos promovem crescimento larvário dependente de IL-4, que limita a resposta local dirigida por interferon e que, por outro lado, altera o metabolismo de nutrientes no músculo infectado. Esse estudo documentou uma nova interação entre nematódeos e seu hospedeiro em que esses parasitos
desenvolveram uma estratégia para cooptar uma resposta da célula hospedeira inata de forma a facilitar o seu crescimento.
Referências
– Huang L, Beiting DP,
Gebreselassie NG, Gagliardo LF, Ruyechan MC, Lee NA, Lee JJ, Appleton JA. Eosinophils
and IL-4 Support Nematode Growth Coincident with an Innate Response to Tissue
Injury. PLoS Pathog. 2015 Dec 31;11(12):e1005347. doi: 10.1371/journal.ppat.1005347.
eCollection 2015 Dec.

 

– Allen JE, Sutherland TE. Host
protective roles of type 2 immunity: parasitemkilling and tissue repair, flip
sides of the same coin. Semin Immunol. 2014mAug;26(4):329-40. doi:
10.1016/j.smim.2014.06.003.