banner_mucosal_salvador

Histórico

A Imunologia brasileira: uma disciplina consolidada e na liderança da área biomédica.

Graças aos trabalhos de Rumjanek e Leta (1996) e de Santos e Rumjanek (2001), é possível acompanhar o crescimento e o perfil da imunologia brasileira, a partir de 1981. O primeiro estudo mostrou que a produção da imunologia brasileira, apesar de comparativamente pequena no período, era de alta qualidade. A imunologia contribuía com 12,4% de todos os cientistas brasileiros mais citados, em todas as áreas. O estudo de 2001 mostrou, além disso, um salto quantitativo da produção, que passou de 42 artigos/ano (1985-1990), para 111 artigos/ano (1991-1995), crescendo 17% ao ano, desde 1991. Das 13 subáreas biomédicas analisadas no Brasil, somente três – a Imunologia, a Imunologia Clínica e Doenças Infecciosas, e as Neurociências – apresentaram crescimento acentuado da produção no período recente. Se em 1990, a Imunologia correspondia a 5% da produção total da área biomédica, em 1995, este valor já passava para 9%.

Enquanto o Brasil ocupa hoje o 17° lugar na produção científica mundial, um estudo do MCT mostrou que a produção da Imunologia brasileira ocupa o 11 ° lugar na pesquisa mundial em imunologia. O reconhecimento nacional deste avanço é comprovado pelo resultado do Edital dos Institutos do Milênio, implementado em 2002. Três dos Institutos do Milênio contemplados são coordenados por sócios e/ou ex-presidentes da Sociedade Brasileira de Imunologia: os Drs. Jorge Kalil, Célio Lopes Silva, e Ricardo Ribeiro dos Santos. Como nas demais áreas biomédicas, a produção está concentrada (85%) nos estados de SP, RJ, MG e BA. A pesquisa em imunologia também está concentrada em algumas áreas temáticas. Mas, ao contrário da distribuição geográfica, os temas mais pesquisados sofreram alterações significativas recentemente.

 

TEMAS Número de artigos Período 81-86 Número de artigos Período 91-95
Imunologia Básica 42 93
Infecções 109 277
(Imunovirologia/retroviroses) 11 108
Transplantes 07 73
Imunogenética 00 14

(dados da tese de Doutorado de Neusa Fernandes dos Santos. Depto. de Bioquímica Médica. ICB-UFRJ)

Como mostrado na tabela acima, além das áreas tradicionais de produção da imunologia brasileira (Imunologia Básica, T. cruzi e Leishmania ), as áreas de Imunovirologia e de Imunologia de Transplantes tornaram-se áreas majoritárias, apresentando um crescimento recente de 10 vezes na produção.

A qualidade da produção científica em imunologia permanece alta. Até 1995, 52,5% dos trabalhos de imunologia foram publicados em revistas de alto índice de impacto (7.29-2.94); 34,5% em revistas médias (2.94-1.11); e apenas 12,8% em revistas de baixo índice de impacto (1.11-0.00). A tabela abaixo ilustra o crescimento recente da imunologia brasileira em algumas das mais importantes revistas internacionais de imunologia. Revistas multidisciplinares não foram analisadas.

 

Número de artigos publicados no: 1981-85 1986-90 1991-95
J. Immunol. (ii: 7.29) 18 15 37
AIDS (ii: 5.98) 0 03 14
Infect Immun (ii: 3.92) 21 27 48
J. Acq. Imm Def (ii: 3.51) 0 0 59
Vaccine (ii: 2.32) 0 05 13

(dados de Neusa F. dos Santos)

Referências:

  • Rumjanek VM, and Leta J. 1996. An evaluation of immunology in Brazil. Braz. J. Med. Biol. Res. 29; 923-931.
  • Santos NF, and Rumjanek VM. 2001. Brazilian immunology: 100 years later. Scientometrics 50; 405-418.

A Sociedade Brasileira de Imunologia

A SBI está sediada junto à FESBE, no ICB III da USP, S. Paulo. A SBI possui atualmente 577 sócios ativos, e mais de 1500 correspondentes eletrônicos. A SBI congrega todos os imunologistas ativos, incluindo todos os pesquisadores bolsistas de produtividade do CNPq. Desde a sua fundação há 30 anos, a SBI participa através de múltiplas atividades, como instrumento para o crescimento da Imunologia no Brasil. Através de suas regionais, a SBI divulga e fomenta a imunologia em áreas aonde a pesquisa é menos desenvolvida. Através de seus informativos eletrônicos e do seu boletim “on line”, o “SBI na Rede” (endereço do site do informativo eletrônico: http://www.sbi.org.br/sbinarede/sbinaredehome.html ), a SBI se constitui num forum permanente de informação e debate. Os seus congressos anuais reúnem sócios e interessados não associados em torno de pesquisadores convidados, do Brasil e do exterior. Durante o congresso, pesquisas inéditas são apresentadas e discutidas, além da formação de um importante forum de debates, e de um balcão acadêmico de colaborações no país e no exterior. As diretorias da SBI atuam na pesquisa, no ensino e na divulgação da imunologia no Brasil, promovendo palestras, simpósios e participando de eventos. A SBI participa ativamente da FESBE, organizando simpósios dentro de suas reuniões anuais. Provavelmente, a maior realização da SBI tenha sido a recente conquista da sede do Congresso Internacional de Imunologia de 2007 (ICI-2007), para o Rio de Janeiro (ver link para apresentação online do Rio de Janeiro como sede em: http://www.sbi.org.br. Apresentação organizada pela empresa Congrex do Brasil), em consequência da atuação do seu ex-presidente, o Dr. Rodrigo Correa de Oliveira. Por decisão em assembléia geral, o congresso de 2007 será organizado pelo Dr. Jorge Kalil. Por suas dimensões, este evento trará um avanço sem precedentes para a imunologia brasileira e áreas correlatas.

Comemoração dos 30 anos da SBI

O XXVIII Congresso Brasileiro de Imunologia foi realizado de 05-08 de outubro de 2003, e homenageou os 30 anos de existência da SBI. A primeira reunião da sociedade ocorreu em dezembro de 1973, na sede da Academia Brasileira de Ciências, no centro do Rio de Janeiro. A sua primeira diretoria era composta por: Otto Bier (falecido), Humberto Rangel, Antônio Oliveira Lima (falecido), Ivan Motta, Wilmar Dias da Silva, Nelson Monteiro Vaz, Benedito de Oliveira, e Maria Siqueira. A SBI decidiu homenagear a sua primeira diretoria, na pessoa de alguns membros, e nomear a Dra. Vivian Rumjanek para organizar a homenagem. Na ocasião, a Dra. Rumjanek apresentau um retrato atual da imunologia no Brasil, o que permitiu avaliar a nossa estratégia de crescimento para o futuro imediato.

  • Publicidade
    bd_banner

    bd_banner_02
    bd_banner_03