banner_immuno2018
22 fevereiro, 2011 • 1:29 Enviado por Joao

Método para controle da malária

Acabamos de ler a reportagem sobre um “Método para controle da Malária”. Tal estudo, como pode ser visto no artigo, preconiza um método que usa fungos patogênicos como alternativa para matar as larvas dos mosquitos antes que esses passem a transmitir a doença. Ficamos imaginando as possíveis desavenças que esse método poderia trazer. Um fungo patogênico não seria capaz de matar outros mosquitos??? Qual o papel dos diversos outras espécies de mosquitos num ambiente?? Poderia servir como alimentação de alevinos? Quão seletivo são esses fungos, de tal forma a não afetar as outras espécies de mosquitos? Ou matar mosquito, seja ele qual for, é útil???
Gostaria de ver os comentários e possíveis esclarecimentos dos amigos leitores.

Confiram a reportagem completa no site:

  • GK

    Sou biologa e acho um absurdo se tentar esse tipo de coisa ( utilizacao do fungo patogenico), visto que um desequilibro pode acarretar em problemas muito mais serios.

  • Eu considero bastante complicado esse tipo de controle, pois nao tem volta. Há muitos anos o Brasil usou organoclorados, particularmente BHC e DDT, no controle de pragas. Os mais antigos que viviam em areas rurais com certeza lembram disso. Embora existam todos os problemas com esse tipo de pesticida, a interrupçao no seu uso tende a eliminar o problema, visto que a quantidade de veneno no ambiente é estabilizada (mesmo que para isso várias geraçoes sejam necessarias, devido ao acumulo ao longo da cadeia alimentar). Mas, e quando falamos de um controle biológico, cujo limitador não é limitado, mas prolifera? Acredito que alem da opiniao dos entomologistas é necessário um estudo cauteloso por biologos, micologistas e epidemiologistas, para calcular o crescimento desse fungo no ambiente, seus inimigos naturais, as consequencias na cadeia alimentar, possiveis outros insetos (ou outros seres) que podem ser alvo, ecosistemas delicados na regiao em questao, etc.