banner_immuno2018
25 setembro, 2012 • 6:25 Enviado por Roque Almeida

MMP -9: controle ou disseminação da Leishmania chagasi?

Produzida por
células epiteliais e leucócitos, a
metaloproteinase 9 (MMP-9) tem sido cada vez mais estudada devido aos seus
importantes papeis no processo inflamatório, tais como: recrutamento de macrófagos,
clivagem de receptores de superfícies celulares, remodelamento da matriz
extracelular e regulação da expressão de citocinas, podendo ser vista como
ponto chave na comunicação da resposta imune e inflamatória. A produção da MMP-9 é regulada por citocinas em macrófagos ativados.
Assim, o TNF-α estimula a secreção de MMP-9 nessas células, enquanto INF-g, IL-4 e a IL-10
suprimem essa secreção.

É bem
conhecido o papel da MMP-9 em processos patológicos como doenças tumorais e
infecciosas, temas esses já discutidos neste blog. Em algumas doenças
parasitárias, como na infecção por T.
cruzi
, P. falciparum e Leishmania sp.
a MMP-9 desempenha papel crucial no dano tecidual e na disseminação do
parasita. Melo et al., (2011)
observaram na leishmaniose visceral canina (LVC), que a elevada produção de
MMP-9 promove lesões sistêmicas. Em camundongos infectados com Leishmania chagasi foi observado que a MMP-9
está associada com a necrose de hepatócitos (Costa et al., 2008).  Camundongos
vacinados com serina proteinase apresentaram diminuição da
atividade da MMP-9, controlando assim a infecção por Leishmania chagasi. (Choudhury et al., 2012).
Por outro lado, dados preliminares de estudos de
pacientes com leishmaniose visceral (LVH) atendidos no Hospital universitário da
UFS demonstram que a MMP-9 não se associa com a lesão dos tecidos, mas sim com à evolução
positiva no curso clínico terapêutico dos pacientes tratados com antimonial
pentavalente. Assim, os níveis de MMP-9 se elevaram ao longo do tratamento de
pacientes com LVH, e diferente do observado na literatura, os altos níveis de
MMP-9 não foram associados com a elevação dos níveis de TGO e TGP. Além disso, os
pacientes assintomáticos para LVH apresentaram níveis mais elevados de MMP-9 do
que pacientes com infecção ativa.  Neste contexto, questionamos até que ponto o
aumento da MMP-9 poderia estar relacionada com a disseminação e dano tecidual
na leishmaniose visceral.
Referências:
Melo, GD., Marangoni, NR., Marcondes, M., Lima VMF., Machado, GF. High
levels of serum matrix metalloproteinases in dogs with natural visceral
leishmaniasis: A preliminary report. The Veterinary Journal. 188 (2011)
243-245.
Choudhury, R., Das,
P., De, T., Chakraborti, T., 115 kDa serine protease confers sustained
protection to visceral leishmaniasis caused by Leishmania donovani via IFN-!
induced down-regulation of TNF- α mediated MMP-9 activity. Immunobiology.
doi:10.1016/j.imbio.2012.02.008.
Costa, JD.,  de Melo, CAN., Vermelho, AD., Meirelles, MN.,
Porrozzi, R. In vitro evidence for
metallopeptidase participation in hepatocyte damage induced by Leishmania chagasi-infected macrophage.
Acta Tropica. 106 (2008) 175-183.

Priscila Lima, Fabricia Alvisi, Micheli Luize

  • Roque, ótimo post. O antimonial pentavalente não induz MMP9?
    j

    • João, alguns pacientes utilizaram anfotericina em vez de antimônio e os indivíduos assintomáticos, que não são tratados, também apresentam níveis elevados de MMP-9. Pode ser outro mecanismo.