banner_immuno2018
23 outubro, 2013 • 7:00 Enviado por Manoel Barral

Notícias do Comitê Assessor de Imuno do CNPq. Sobre as bolsas de produtividade em pesquisa.

Ana Caetano, Marcelo Bozza, Edecio Cunha Neto e eu compomos atualmente o Comitê Assessor de Imunologia (CA-IM) do CNPq. Pretendemos discutir com a comunidade os critérios, perfis e demais aspectos conceituais que norteiam o trabalho do CA.
Os membros de cada CA não são escolhidos para representar suas instituições ou sociedades mas sim para assessorar a Diretoria do CNPq quanto ao financiamento de projetos e bolsas na sua área de especialidade. Porque então escolhemos o blog da SBI como canal de comunicação?
  • A SBI é a sociedade com maior número de associados entre os solicitantes de bolsas;
  • O blog é de acesso aberto aos usuários da internet (não restrito aos sócios) o que permite a qualquer pessoa interessada tomar conhecimento e participar do debate;
  • O blog tem um número expressivo de acessos de diversos pontos do país.
Neste primeiro post da série, trataremos dos grandes requisitos/critérios para participar do sistema de bolsas PQ.
O CNPq indica aos comitês:
“Os critérios de julgamento das Bolsas de Produtividade em Pesquisa poderão levar em consideração, além da especificidade da área:

– Mérito científico do projeto; relevância, originalidade e repercussão da produção científica do proponente; formação de recursos humanos em pesquisa; contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes; coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa; inserção internacional do proponente; participação como editor científico; gestão científica e acadêmica….”

e deixa os critérios específicos a cargo de cada CA.
Para o período de 2012 a 2014, os critérios do CA-IM estão na página (aqui) e indicam, entre outros pontos que:
O pleito de bolsa PQ deve conter duas sessões:
  1. (i) uma versão RESUMIDA (8 pgs) do(s) projeto(s) de pesquisa liderados pelo proponente (normas descritas abaixo)
    (ii) Avaliação crítica da produtividade científica (publicações) e acadêmica (formação de RH) alcançada no quinqüênio anterior  (2 pgs);
  2. O projeto resumido (ARIAL 12, espaço simples) deve conter
    (i) resumo e objetivos gerais (1 pg)
    (ii) racional da proposta (2 pgs)
    (iii) metodologia e desenho experimental (3 ½ pgs)
    (iv) aspectos éticos e financiamentos (1/2 pg), e (v) referências chaves (1 pg).
Porque destacamos isto?
Simplesmente porque menos de 50% dos pedidos do último julgamento seguiram estas recomendações. Quem não segue o item A desperdiça uma grande chance de valorizar o seu trabalho e destacar para o CA os aspectos mais importantes da sua atuação. Notem que o que se pede não é uma listagem de publicações mas uma avaliação crítica da produção.
E quanto à especificidade da área? O texto divulgado na página do CNPq indica:
“2) Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2
Para primeiro ingresso no sistema, o(a) pesquisador(a) deverá apresentar evidências inequívocas de liderança científica e produtividade qualitativa comprovada [grifo nosso, assim como os demais grifados da mesma maneira]. Os requisitos (mínimos) para obtenção de bolsa PQ2 são os seguintes: :
a) Possuir titulo de doutor e pós-doutorado (obtido em período igual ou superior a 3 anos antes da presente submissão), concedidos por Instituição idônea de pesquisa ou universidade.
b) Apresentar, para análise comparativa da qualidade das publicações científicas, 3  trabalhos científicos (ou mais) publicados de alta qualidade em revistas indexadas no último qüinqüênio, sendo que pelo menos UM destes artigos deve ter sido realizado no Brasil, após o término do doutoramento. O candidato deverá ser obrigatoriamente o primeiro autor ou autor correspondente nestes 3 artigos escolhidos, devendo caracterizar liderança na condução de uma linha científica bem definida. Excepcionalmente, o CA-Imunologia poderá avaliar a inscrição de candidatos que compartilharam (máximo de 2) as primeiras autorias e responsabilidade pela correspondência em seus artigos, como evidência de liderança científica.
c) Justificar porque o candidato considera que as descobertas publicadas em seus artigos (originalidade, conteúdo inovador etc) publicados justificam o seu acesso a faixa PQ2 concedidas pelo CA Imunologia (2 pgs).
d) Deve estar presentemente orientando formalmente pelo menos 1 mestre ou doutor, vinculado a programas de PG reconhecidos pela CAPES.”
Imagina porque destacamos os três aspectos acima? 
Acertou quem imaginou que estes tópicos também foram olimpicamente ignorados pela maioria dos solicitantes.
Recomendamos enfaticamente que os solicitantes sigam as instruções pois tal medida facilita que o CA reconheça de forma adequada o valor do seu trabalho.
Não cumpriu as instruções porque discorda delas?
O caminho correto é manifestar a sua discordância e justificar o motivo. Apenas não seguir as instruções não terá qualquer consequencia para a sua alteração, manifeste a sua discordância.
  • Anônimo

    Regra é regra. Parabéns, comitê! Obrigada pela transparência e objetividade.

  • Anônimo

    o que e CA?

  • CA é Comitê Assessor, obrigado por alertar. Vou alterar no texto do post.

  • Prof. Manoel Barral,
    Primeiro, parabéns pela transparência e busca da opinião de todos os interessados. Esse assunto é muito relevante e sempre pode ser discutido em espaços tais como o SBlogI. Não sei se é oportuno mas queria saber porque o CNPq não abre novas seleções para bolsistas de produtividade "novos campi". Acredito que haveria mais chances para pesquisadores que conseguem grandes avanços em locais menos estruturados mais que, esses avanços (tais como publicações, orientações etc), ainda são muito humildes quando comparados aos resultados de pesquisadores que já pesquisam em departamentos consagrados e a pesquisa já acontece de maneira estruturada.Faço essa pergunta porque é notório que a quantidade de bolsas é insuficiente e muita gente boa, na área de imunologia por exemplo, de dentro e fora dos grandes centros, fica excluída nessa seleção.
    Prof. Carlo José Freire de Oliveira – Imunologia – ICBN/UFTM – Uberaba-MG

    • Caro Carlo,
      A decisão de expandir vagas e seleção de bolsas PQ para lugares prioritários não compete ao CA. Esta é uma atribuição da Diretoria Executiva do CNPq e depende, como tudo, de verba.
      Uma manifestação no sentido de seleção de bolsas PQ para novos campi deve ser enviada à Presidência.
      Abraço

  • Anônimo

    Por quê o requisito do pós-doutorado?

  • Caro Anonimo 3,
    A realização de pós-doutorado é importante na formação do cientista. Como o sistema de bolsas PQ é muito competitivo, este nível de capacitação foi considerado como essencial.