banner_immuno2018
22 julho, 2014 • 4:01 Enviado por Joao Carmo

O que é que a banana tem? Bananese, a “maionese” saudável

Um projeto desenvolvido por alunos do Instituto Federal de Goiás (IFG), em Rio Verde, sudoeste do Estado, foi 1 dos 50 selecionados entre 350 no mundo para ser apresentado na London International Youth Science Forum (LIYSF), em Londres, nesta terça, 22 (hoje). Reforço aqui a importância de estimularmos (governo e cidadãos) uma boa formação escolar, incluindo ciência, desde o Ensino Médio, em todas as suas formas, incluindo o ensino técnico profissionalizante. Independentemente da escola ser pública ou privada. O Projeto Imunologia nas Escolas foi criado nesse sentido: embora não haja influências mútuas diretas, os objetivos de melhorar a educação e a ciência brasileiras, e contribuir para diminuir as grandes desigualdades sociais, a longo prazo, são semelhantes. Parece-me que assim, caminhamos para deixar de sermos apenas mais uma “República de Bananas” (países exportadores, como a Costa Rica, Equador e Colômbia) para sermos fabricantes de produtos com valor agregado (a “bananese” está sendo patenteada).

BANANESE – A MAIONESE SAUDÁVEL (661)
Gustavo Augusto da Silva, Matheus Fernando da Silva, Rochelly Sousa Lacerda, Marcio Ramatiz Lima
dos Santos (Orientador) , Alexsandra Valeria Sousa Costa (Coorientador)
Instituto Federal Goiano – Campus Ceres, CERES, GO
SAU – 305 Nutrição
Projeto da Feira: XIV Feira de Ciência e Tecnologia do IF Goiano Ceres
Texto extraído do site G1-Globo/TV Anhanguera (Goiás) aqui em 19/07/2014:
“(…) O objetivo é utilizar o excedente de banana e ajudar o mundo a se livrar de resíduos. Além disso, evitar o alto índice de colesterol (LDL) e pressão alta.
Alunos: Gustavo Augusto, 17 anos, e Matheus Fernando, 18 anos, ambos do IFG do Estado de Goiás.
Cansado de ver as bananas do campus onde estudava se perderem, o universitário Matheus Fernando resolveu criar um projeto para resolver o problema. Após 11 meses de pesquisas, o aluno de  Engenharia de Alimentos do Instituto Federal Goiano, em Rio Verde, sudoeste de Goiás, criou a “bananese”, uma maionese feita à base de banana verde. A ideia deu tão certo que ele foi convidado para apresentar a inovação em uma feira em Londres, no maior evento da área, em julho.
Matheus conta que a criação da maionese surgiu por acaso. “Eu desenvolvi o projeto quando estava no terceiro ano do Ensino Médio de técnico em Agropecuária, em outro campus da instituição. A banana era uma das frutas com mais abundância e que perdia muito. Resolvi fazer alguma coisa. A intenção não era fazer a maionese, mas sim alguma coisa com a biomassa da banana verde”, explica.
“É bem difícil chegar ao ponto de biomassa porque como a base dela é só banana verde e água a gente tinha que quebrar essa adstringência da banana verde antes de começar a fazer a biomassa”, explica.O produto criado tem quatro sabores: pimenta, rosé, orégano e sem condimento. Quem prova diz que é difícil perceber o gosto da fruta no alimento. De acordo com Matheus, a bananese também é recomendada para quem quer perder peso, pois não leva óleo e ovo em sua composição. Para prepará-la, são utilizadas apenas banana e água.”
“Yes, nós temos bananas!” Agora podemos dizer que além de “engordar e fazer crescer”, como o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense, em 1991 [“(…) Na exportação, oh meu Brasil menino, a força é teu chão!”], banana e seus produtos podem também ajudar a reduzir o colesterol “ruim”, perder peso e prevenir diabetes.

Mais informações aqui