gif_site_mucosal
27 abril, 2017 • 4:37 Enviado por Helder Nakaya

Vitamina C, cama e muco de rã

Talvez em breve as vovós (principalmente as indianas) irão recomendar sempre que alguém espirrar: “Por que você não passa um muco de rã nesse nariz pra não pegar gripe, meu filho?”.

 

Isso porque na pele de uma rã indiana de nome fácil (Hydrophylax bahuvistara) existe um peptídeo capaz de neutralizar várias cepas diferentes do vírus da gripe, incluindo a cepa H1N1 que causou a pandemia de 2009.

 

O autor principal, Joshy Jacob, é uma das pessoas mais doces e atenciosas do Departamento que eu trabalhava na Emory (daquelas que te abraçam e perguntam como está sua sobrinha). Ele já havia me contado sobre esse trabalho mas só descobri que saiu na Immunity quando ele me mandou uma mensagem no celular com uma notícia de jornal de seu artigo. E essa notícia estava em português!! Não é uma graça?

 

Enfim, o que eles fizeram foi testar diversos peptídeos que poderiam neutralizar o vírus Influenza até chegar neste que denominaram “Urumin”, homenagem à uma espada curvada que guerreiros da região da rã costumavam usar. Confesso que pelo vídeo, com uma espada dessa não sobraria muito do vírus mesmo.

urumin_gripe

E a razão de o urumin ser capaz de destruir diversas cepas é que seu alvo é a região conservada HA do Influenza (stalk region). E como este peptídeo não se mostrou tóxico para células sanguíneas humanas, seu futuro como anti-viral é realmente promissor. Mas enquanto outros testes não confirmarem sua eficácia e segurança, não conte sobre esse artigo para sua vó.

 

PS: Joshy havia me pedido para arranjar vírus brasileiros, Zika, Dengue, etc para que ele testasse seus peptídeos. Quem tiver interesse, por favor entre em contato.

 

Artigo:
An Amphibian Host Defense Peptide Is Virucidal for Human H1 Hemagglutinin-Bearing Influenza Viruses
Holthausen DJ, Lee SH, Kumar VT, Bouvier NM, Krammer F, Ellebedy AH, Wrammert
J, Lowen AC, George S, Pillai MR, Jacob J.
Immunity. 2017 Apr 18;46(4):587-595