Estudo desvenda ativação de inflamassomas na resposta imune à infecções
01 de agosto de 2017
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Pesquisa realizada no Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos da Universidade de São Paulo foi capa do periódico Cell Reports no mês de julho. O estudo analisou como diferentes inflamassomas são responsáveis por regular a indução de um processo inflamatório para assegurar a resposta imune efetiva à infecções.

O projeto foi coordenado pelo imunologista Dario Zamboni e demonstrou que a AIM2, uma proteína capaz de reconhecer o DNA de micróbios no citoplasma de células infectadas, induz a ativação do receptor NLRP3. Uma vez ativado, o NLRP3 induz um processo inflamatório que irá combater a infecção.

Para a realização do estudo foi utilizada a bactéria Legionella pneumophila como modelo de agente infeccioso.

“Com este trabalho contribuímos para a compreensão de como as células do sistema imune inato reconhecem e combatem as infecções microbianas, é interessante que uma proteína que induz um inflamassoma, o AIM2, é capaz de utilizar uma forma ativa, mas não clivada de caspase-1 para induzir a ativação de um segundo inflamassomo, o NLRP3”, explicou Zamboni.

Leia o estudo completo aqui.

Usuário
PUBLICADO POR
comunicação sbi
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS
Confira a programação de recesso da SBI
comunicação sbi
21 de dezembro de 2018
Associados da SBI são nomeados membros titulares da Academia Brasileria de Ciências
comunicação sbi
13 de dezembro de 2018
Aprovados no Programa de Auxílio a Eventos da SBI - Chamada 2019/1
comunicação sbi
14 de dezembro de 2018