Grupo do CNPEM trabalha com pesquisa de fármacos antivirais
15 de abril de 2020
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Liderado pelo pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Rafael Elias Marques, este grupo tem o foco da pesquisa em fármacos antivirais. A busca por moléculas ativas contra o coronavírus entre medicamentos que já estão no mercado é um dos principais esforços do CNPEM, no âmbito da Rede Vírus MCTIC – iniciativa promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). 
Através de ferramentas avançadas de biologia computacional e inteligência artificial, os pesquisadores do CNPEM, organização social vinculada ao MCTIC, avaliaram cerca de dois mil fármacos já aprovados, conhecidos e comercializados. As análises indicam se essas substâncias são capazes de se ligar ao vírus, em lugares específicos, capazes de bloquear a replicação viral.

Pesquisador Rafael Elias, líder do grupo

 
“Diante do cenário de pandemia, a busca por moléculas em medicamentos já autorizados é estratégica. Ao olharmos para substâncias já avaliadas como seguras, podemos chegar aos testes clínicos, com pacientes humanos, em um intervalo de tempo reduzido, se comparado ao processo normal de descoberta de fármacos”, explica o pesquisador.
Dentre os dois mil medicamentos testados por pesquisadores do CNPEM contra o Covid-19, cinco foram considerados promissores, com base em métodos de biologia computacional. Posteriormente somou-se aos cinco fármacos selecionados previamente uma sexta substância, escolhida por técnicas de quimioinformática e inteligência artificial. Essa pré-seleção reúne drogas como analgésicos, anti-hipertensivos, antibióticos, diuréticos e outros, que seguiram para testes com células infectadas com o vírus.
 
 
 
 
 
 
Fonte: CNPEM

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
O post do SBlogI que virou colaboração internacional sobre a dinâmica do HLA-G
11 de novembro de 2020
As vacinas ainda são problemas
Nelson Vaz
29 de outubro de 2020
Dois vídeos
Nelson Vaz
22 de outubro de 2020