Grupo estuda o papel de mediadores inflamatórios pró-resolutivos em modelo murino de SARS induzido por coronavírus
15 de abril de 2020
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

O grupo liderado pelo pesquisador Mauro Martins Teixeira, do Departamento de Bioquímica e Imunologia do ICB-UFMG, tem o foco da pesquisa no papel de mediadores inflamatórios pró-resolutivos em modelo murino de SARS induzido por coronavírus. Este é um projeto maior que conta com vários sub-projetos, como a “AVALIAÇÃO DO PAPEL DA ANGIOTENSINA-(1-7) E DO SEU RECEPTOR MAS EM UM MODELO MURINO DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SARS) INDUZIDO POR CORONAVÍRUS”, o qual será conduzido sob a supervisão da professora Lirlândia Pires de Sousa, do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas - Faculdade de Farmácia. Este sub-projeto será conduzido pelo pós-doutorando e virologista Leonardo Camilo de Oliveira.

Pesquisador Mauro Martins Teixeira, líder do grupo

O grupo ainda não inciou o plano de trabalho proposto no projeto, mas irá trabalhar inicialmente com uma amostra de betacoronavírus murino (MHV- A59) passível de ser modelada em camundongos e trabalho em área de contingenciamento NB2, cujo pedido de importação da ATCC já está tramitando via Fundep. “Por enquanto, estamos participando da força tarefa da UFMG no auxílio ao diagnóstico de pacientes com Covid-19, através do INCT em Dengue e Interação Microrganismo Hospedeiro, e também do LinBio da Faculdade de Farmácia, que começará a realizar os testes de RT-PCR para o detecção viral assim que chegarem os insumos”, explica a supervisora do projeto com Angiotensina-(1-7) e SARS. A pesquisadora conta que, inicialmente, foi solicitada uma bolsa de PDJ junto ao CNPq, no edital de março/2020. No momento, o grupo está em fase de preparação de um projeto maior em conjunto com outros pesquisadores do INCT em Dengue e Interação Microrganismo Hospedeiro, para solicitação de financiamento junto às agências de fomento. 
O projeto de avaliação do “Papel de mediadores inflamatórios pró-resolutivos em modelo murino de SARS induzido por Coronavírus” conta com a colaboração de diversos professores e pesquisadores do INCT em Dengue e Interação Microrganismo Hospedeiro, dentre eles os professores Mauro Martins Teixeira, coordenador do referido INCT, e Danielle da Glória de Souza. O professor Robson Santos, do ICB-UFMG é colaborador no sub-projeto com Angiotensina-(1-7). Além destes pesquisadores e da coordenação, o projeto terá inicialmente dois alunos, sendo um pesquisador de pós-doutorado e outro de doutorado. 
No momento o grupo de pesquisa, em “Sinalização na Inflamação”, coordenado pela professora Lirlândia P. Sousa, não conta com nenhum financiamento direto. “Embora tenhamos projeto aprovado pela FAPEMIG, pelo Edital Universal de 2018, este não tem previsão da liberação dos recursos. Desta forma, o único recurso disponível que posso contar no momento são os valores mensais da minha taxa de bancada como bolsista do CNPq e conto com a colaboração valiosa do INCT em Dengue e Interação Microrganismo Hospedeiro, que felizmente terá aporte financeiro”, comenta a pesquisadora.
 
*Informações concedidas pelo grupo de pesquisa

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
O post do SBlogI que virou colaboração internacional sobre a dinâmica do HLA-G
11 de novembro de 2020
As vacinas ainda são problemas
Nelson Vaz
29 de outubro de 2020
Dois vídeos
Nelson Vaz
22 de outubro de 2020