Presidente da SBI, Ricardo Gazzinelli, recebe Prêmio Fundação Bunge 2021
04 de outubro de 2021
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Em 2021, o Prêmio Fundação Bunge - um dos mais importantes reconhecimentos de mérito científico, literário e artístico do país - chegou à sua 65ª edição. O vencedor na categoria “Vida e Obra em Ciências Biológicas, Ecológicas e da Saúde, no tema: Prevenção de Doenças Infecciosas”, foi o imunologista Ricardo Gazzinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI), professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e cofundador do Centro de Tecnologia de Vacinas da UFMG-Fiocruz.

Ricardo Gazzinelli - Presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia

 

“É uma honra receber um prêmio tão importante para comunidade científica brasileira. Em especial, na área de prevenção de doenças infecciosas que o Brasil tem uma massa crítica considerável, e que a atuação de pesquisadores brasileiros está em grande evidência devido a pandemia COVID-19. Ao meu ver é também um reconhecimento pelo trabalho da Sociedade Brasileira de Imunologia e imunologistas brasileiros que tanto se empenharam e tiveram grande destaque no enfrentamento à pandemia”, comenta Gazzinelli.

O Prêmio Fundação Bunge contempla seis áreas do conhecimento humano: Ciências Biológicas, Ecológicas e da Saúde; Ciências Exatas e Tecnológicas; Ciências Agrárias; Ciências Humanas e Sociais; Letras e Artes. A área de Ciências Agrárias é fixa, sendo contemplada todos os anos. As demais seguem um sistema de rodízio. O Conselho da Fundação Bunge seleciona os ramos dentro da área definida. Os candidatos ao prêmio são indicados por representantes das principais universidades e entidades científicas do país por meio de solicitação enviada pela Fundação Bunge.

 

Saiba mais sobre o imunologista

Ricardo Gazzinelli é presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia (gestão 2020-2021), professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), professor da Universidade de Massachusetts (UMASS), professor visitante da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP e pesquisador 1A do CNPq. É coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Vacinas/MCT. Cofundador do Centro de Tecnologia de Vacinas UFMG-Fiocruz e da Detechta Biotecnologia S.A..

Fez contribuições importantes na área de imunologia das doenças parasitárias e tem contribuído para o desenvolvimento de vacinas contra as doenças negligenciadas, mais precisamente a leishmaniose, doença de Chagas e malária.

É membro da Academia Brasileira de Ciências, The World Academy of Sciences (TWAS) e recebeu as seguintes distinções: Biotechnology Fellowship from Rockfeller Foundation (1995); Prêmio FUNDEP, área ciências biomédicas (2002); fellowship from John Simon Guggenheim Memorial Foundation (2004); prêmio CAPES/ELSEVIER, área Bioquímica (2007); prêmio da TWAS, área ciências médicas (2009); prêmio Marcos Mares-Guia da FAPEMIG/SESTEC (2009); Comendador (2007) e Grã-Cruz (2010) da Ordem de Mérito Científico; Orientador - Grande Prêmio de Teses CAPES Ciências da Vida (2012), e prêmio tese nas áreas Bioquímica (2012) e Medicina (2011 e 2017); Cátedra CAPES/Harvard (2013-2014), Prêmio Santander Universidade em Biotecnologia (2013), e Prêmio Péter Murányi (2014).

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
A ORQUESTRA DAS PLAQUETAS: reprogramando células T reguladoras e macrófagos M2 na resolução da inflamação pulmonar
Vânia Bonato
04 de outubro de 2021
A sinalização de anafilatoxinas favorece o processo de maturação da afinidade
Vânia Bonato
29 de setembro de 2021
Linfócito T folicular regulador (TFR) – um novo protagonista na progressão tumoral via restrição da eficácia do tratamento com anticorpos contra PD-1
Vânia Bonato
24 de setembro de 2021