Estudo aponta que o SARS-CoV-2 pode aumentar o gasto energético de células do cérebro para se replicar
09 de novembro de 2021
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Um estudo liderado por cientistas da Plataforma Científica Pasteur-USP mostrou pela primeira vez que o SARS-CoV-2 pode infectar e se replicar em células cerebrais. A pesquisa foi conduzida com os animais vivos e também com astrócitos isolados do sistema nervoso central dos roedores e cultivados in vitro. 

Os resultados, que foram divulgados no repositório preprint bioRxiv, sugerem que a infecção pelo SARS-CoV-2 pode acelerar o metabolismo dessas células nervosas e aumentar o consumo de moléculas usadas na geração de energia, como a glicose e o aminoácido glutamina.

“Ao que tudo indica, o SARS-CoV-2 superativa o metabolismo dos astrócitos de modo a obter mais energia para replicar seu material genético e produzir novas partículas virais. Tanto que, quando usamos uma droga para bloquear a glutaminólise [a produção de energia a partir de glutamina], a replicação viral nas células em cultura foi reduzida em cerca de um terço”, explica Jean Pierre Peron, professor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-USP), pesquisador da Plataforma Científica Pasteur-USP (SPPU) e coordenador da investigação em entrevista à Agência Fapesp.

 

Saiba mais sobre o estudo na matéria publicada pela Agência Fapesp: https://mla.bs/9525790d 

O artigo está disponível no link: https://mla.bs/6d55c2fc

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
DE CABELO EM PÉ: células T reguladoras e glicocorticoides colaboram para a manutenção do folículo piloso
Vânia Bonato
14 de setembro de 2022
Nova temporada da vacina de gripe: saiba todos os spoilers
SBI Comunicação
27 de abril de 2022
As vacinas tão no grau, mami!
SBI Comunicação
26 de abril de 2022