Pesquisa indica que gordura visceral pode contribuir para o agravamento da COVID-19
30 de novembro de 2022
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Uma pesquisa conduzida na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e na Universidade de São Paulo (USP) indica que a gordura visceral – aquela que envolve os órgãos vitais e é considerada um fator de risco para doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão – contribui mais para o agravamento da COVID-19 do que a gordura existente abaixo da pele. O estudo foi publicado na revista Nature Communications.

Os cientistas infectaram em laboratório dois tipos de adipócitos: um obtido a partir de células-tronco humanas isoladas do tecido adiposo subcutâneo e outro diferenciado a partir de células-tronco do tecido adiposo visceral.

“Foi possível observar que o adipócito visceral é mais suscetível à infecção pelo SARS-CoV-2, pois a carga viral aumenta bem mais nesse tipo de célula de gordura do que no adipócito subcutâneo. Acreditamos que isso se deve, principalmente, à maior presença da proteína ACE-2 [à qual o vírus se conecta para invadir a célula] na superfície celular”, explica Marcelo Mori (Unicamp), um dos líderes do estudo, em entrevista à Agência Fapesp.

Além disso, os pesquisadores notaram que, ao ser infectado, o adipócito visceral produz uma quantidade maior de citocinas pró-inflamatórias – moléculas que sinalizam para o sistema imune a existência de uma ameaça a ser combatida.

Saiba mais sobre a pesquisa na matéria publicada pela Agência Fapesp: clique aqui

 

O artigo está disponível no link https://www.nature.com/articles/s41467-022-33218-8 

 

Autores: Tatiana Dandolini Saccon, Felippe Mousovich-Neto, Raissa Guimarães Ludwig, Victor Corasolla Carregari, Ana Beatriz dos Anjos Souza, Amanda Stephane Cruz dos Passos, Matheus Cavalheiro Martini, Priscilla Paschoal Barbosa, Gabriela Fabiano de Souza, Stéfanie Primon Muraro, Julia Forato, Mariene Ribeiro Amorim, Rafael Elias Marques, Flavio Protasio Veras, Ester Barreto, Tiago Tomazini Gonçalves, Isadora Marques Paiva, Narayana P. B. Fazolini, Carolina Mie Kawagosi Onodera, Ronaldo Bragança Martins Junior, Paulo Henrique Cavalcanti de Araújo, Sabrina Setembre Batah, Rosa Maria Mendes Viana, Danilo Machado de Melo, Alexandre Todorovic Fabro, Eurico Arruda, Fernando Queiroz Cunha, Thiago Mattar Cunha, Marco Antônio M. Pretti, Bradley Joseph Smith, Henrique Marques-Souza, Thiago L. Knittel, Gabriel Palermo Ruiz, Gerson S. Profeta, Tereza Cristina Minto Fontes-Cal, Mariana Boroni, Marco Aurélio Ramirez Vinolo, Alessandro S. Farias, Pedro Manoel M. Moraes-Vieira, Joyce Maria Annichino Bizzacchi, Tambet Teesalu, Felipe David Mendonça Chaim, Everton Cazzo, Elinton Adami Chaim, José Luiz Proença-Módena, Daniel Martins-de-Souza, Mariana Kiomy Osako, Luiz Osório Leiria & Marcelo A. Mori.

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
Projeto Mural de História da SBI: Depoimento sobre o pesquisador Wilmar Dias da Silva
SBI Comunicação
11 de janeiro de 2023
A Imunologia em tempos de crise sanitária: por que é fundamental desenvolvermos esta ciência?
SBI Comunicação
21 de outubro de 2022
Série "Aprenda Imunologia" - Você sabe o que é método científico?
SBI Comunicação
21 de outubro de 2022