Exposição COVID-19 - Tecnologias das vacinas aprovadas no Brasil: Vetor Viral
17 de dezembro de 2021
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Nesta plataforma, são inseridos genes da proteína alvo do patógeno em um outro vírus que possui uma modificação genética que o impede de se replicar nas células.

Estes vírus atuam como um “vetores” que invadem as células hospedeiras, expressam suas proteínas (incluindo as do patógeno alvo, por exemplo, SARS-CoV-2), mas não se replicam, e, portanto, não infectam novas células e não se disseminam em nosso organismo. Podemos citar como exemplos de vetores: adenovírus, influenza e MVA. As proteínas alvo sintetizadas nas células levam à estimulação do sistema imunológico, conferindo proteção ao patógeno, no caso, ao SARS-CoV-2. 

No Brasil, algumas vacinas que se baseiam nesta tecnologia já estão disponíveis:

- A vacina que foi desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, utiliza essa abordagem vacinal e está aprovada desde o dia 12 de março de 2021 sendo que, no Brasil, ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

- A vacina JNJ-78436735 da biofarmacêutica Janssen (Johnson & Johnson) - conhecida como “Vacina da Janssen” -  é baseada na tecnologia de vírus recombinante não replicante, com o adenovírus sorotipo 26 (Ad26) como vetor contendo o gene da proteína S.

> Saiba mais no site Exposição COVID-19 da SBI: https://bit.ly/ExposicaoSBIVacinas

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
DE CABELO EM PÉ: células T reguladoras e glicocorticoides colaboram para a manutenção do folículo piloso
Vânia Bonato
14 de setembro de 2022
Nova temporada da vacina de gripe: saiba todos os spoilers
SBI Comunicação
27 de abril de 2022
As vacinas tão no grau, mami!
SBI Comunicação
26 de abril de 2022