Estudo analisa a proteção da vacina Oxford/AstraZeneca contra internações hospitalares e mortes por COVID-19 ao longo do tempo
22 de dezembro de 2021
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Um grupo de pesquisadores do Brasil e da Escócia analisou a relação entre o tempo após a vacinação com duas doses da vacina ChAdOx1 (Oxford/AstraZeneca) e o risco de desfechos graves da COVID-19 na Escócia (onde Delta era dominante), com análises comparativas no Brasil (no período que a Delta era incomum). O artigo foi publicado na revista científica The Lancet.

Os pesquisadores utilizaram bancos de dados nacionais referentes a vacinação, testes laboratoriais, dados clínicos e de mortalidade. Os resultados indicaram diminuição da proteção vacinal de ChAdOx1 contra infecção sintomática por SARSCoV-2, hospitalizações por COVID-19 e mortes na Escócia e no Brasil, tornando-se evidente três meses após a segunda dose da vacina. Segundo o grupo, deve-se considerar o fornecimento de doses de vacina de reforço para pessoas que receberam a ChAdOx1.

> O artigo está disponível no link: https://mla.bs/3b1afd81

 

Autores: Srinivasa Vittal Katikireddi, Thiago Cerqueira-Silva, Eleftheria Vasileiou, Chris Robertson, Sarah Amele, Jiafeng Pan, Bob Taylor, Viviane Boaventura, Guilherme Loureiro Werneck, Renzo Flores-Ortiz, Utkarsh Agrawal, Annemarie B Docherty, Colin McCowan, Jim McMenamin, Emily Moore, Lewis D Ritchie, Igor Rudan, Syed Ahmar Shah, Ting Shi, Colin R Simpson, Mauricio L Barreto, Vinicius de Araujo Oliveira, Manoel Barral-Netto, Aziz Sheikh.

Usuário
PUBLICADO POR
SBI Comunicação
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >
OUTRAS NOTÍCIAS
DE CABELO EM PÉ: células T reguladoras e glicocorticoides colaboram para a manutenção do folículo piloso
Vânia Bonato
14 de setembro de 2022
Nova temporada da vacina de gripe: saiba todos os spoilers
SBI Comunicação
27 de abril de 2022
As vacinas tão no grau, mami!
SBI Comunicação
26 de abril de 2022