Nova temporada da vacina de gripe: saiba todos os spoilers
27 de abril de 2022
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Por: Luara Isabela dos Santos

Pesquisadora, coordenadora e professora das disciplinas de Imunologia e de Genética aplicadas à Medicina na Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG)

 

 

Quantas vezes após terminar uma série ou um livro você ficou ansioso(a) para começar a próxima temporada? E se eu te falasse que essa série, que se repete todos os anos, pode salvar vidas? Talvez assim você corresse para vê-la na pré-estreia. Acertei? Então, pegue a sua agenda e o cartão de vacinação e corra para um dos mais importantes eventos anuais: a vacinação contra a gripe. A partir de agora eu vou te dar alguns spoilers sobre esse evento, esclarecendo sobre as principais dúvidas, mas pode ler até o final que não prejudicará a emoção do grande dia. 

 

É necessário vacinar todos os anos? 

Para esclarecermos isso precisamos conhecer o vírus causador da gripe, o Influenza. Os vírus causadores das epidemias sazonais são o Influenza A e B que são capazes de sofrer mutações rapidamente e se reorganizar para formar novas cepas. Embora mais de 130 combinações de subtipos de Influenza A tenham sido identificadas na natureza, existem potencialmente muito mais combinações de subtipos do Influenza A. [1] Assim, visando proteger contra as principais cepas em circulação, a Organização Mundial de Saúde (OMS), a partir de dados coletados em colaboração com vários pesquisadores, determina a composição da vacina de cada região anualmente de acordo com os principais vírus Influenza circulantes naquela sazonalidade. Assim, todos os anos é necessário tomar a vacina da gripe, pois essa irá te proteger contra os principais vírus da gripe que estão circulando naquele ano. 

 

Qual a diferença entre a vacina do SUS e a vacinação na rede particular? 

A composição da vacina da gripe do SUS contempla três tipos de Influenza, chamada de trivalente, enquanto a particular possui quatro tipos, chamada de tetravalente. Na vacina trivalente estão presentes duas cepas do Infuenza tipo A e uma cepa do Influenza B: (I) cepa Influenza A/Victoria/(H1N1) pdm09; (II) cepa Influenza A/Darwin/9/2021 (H3N2); (III) cepa Influenza B/Áustria/02/1359417/2021 (linhagem B/Victoria). Na vacina tetravalente, além das três cepas da trivalente é acrescentado uma cepa do tipo B, a cepa Influenza B/Phuket/3073/2013. [2] Na campanha contra o Influenza do SUS, serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores da saúde, idosos acima de 60 anos, professores, pessoas portadoras de condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, entre outros grupos prioritários. [3]

 

Qual o intervalo entre a vacina de COVID-19 e a vacina da gripe? 

A campanha de vacinação contra o Influenza coincidirá com a realização da vacinação contra a COVID-19 para alguns públicos. As vacinas COVID-19 poderão ser administradas de maneira simultânea ou com qualquer intervalo com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, na população a partir de 12 anos de idade. No entanto, para as crianças de cinco a 11 anos é importante que seja priorizada a administração da vacina COVID-19, respeitando o intervalo mínimo de 15 dias para administração da vacina contra a gripe. [3] É importante lembrar que em 2022 a faixa etária das crianças contempladas para vacinação no SUS contra a gripe, sem outras condições de saúde associadas, é a partir de 6 meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias.

 

Se eu for vacinado eu terei a gripe? 

A vacina é composta por vírus inativados, fragmentados e purificados, sendo assim, pela vacinação pode ocorrer apenas a proteção pela estimulação do sistema imune e nunca a infecção. Algumas pessoas que são vacinadas ainda podem ficar doentes pela infecção com outras cepas de Influenza circulantes ou devido a outros vírus que também são causadores da síndrome gripal. No entanto, a vacinação contra a gripe, comprovadamente por vários estudos, reduz a gravidade da infecção com o Influenza presente na composição vacinal. A proteção fornecida pela vacina contra a gripe varia de estação para estação e depende em parte da idade e do estado de saúde da pessoa que recebe a vacina e da semelhança ou “correspondência” entre os vírus da vacina e aqueles em circulação. [4] Ressalta-se que a vacinação contra a gripe é uma das medidas de prevenção mais importantes para proteger contra a doença, além de contribuir na redução da circulação viral na população, bem como suas complicações e óbitos, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco. [3]

 

Quem pode ser vacinado contra a gripe?

É recomendado a vacinação contra o Influenza (gripe) anualmente para todos acima de 6 meses de idade, com raras exceções. As evidências de muitos estudos mostram que a vacina contra a gripe ajuda a proteger contra a doença e suas complicações potencialmente graves reduzindo visitas médicas, hospitalizações e mortes. [4] Em adultos, a vacinação contra a gripe está associada a um risco 26% menor de internação na UTI e um risco 31% menor de morte por gripe em comparação com aqueles que não foram vacinados [5]. Em crianças alguns estudos mostram que a vacinação reduz significativamente a morte pelo Influenza. [6,7] 

 

E como será essa temporada no Brasil?

Os dados da cobertura vacinal no Brasil de 2021 são preocupantes já que nenhum grupo apresentou valores iguais ou acima da meta de 90%, sendo a cobertura no total de apenas 72,8%. O grupo que apresentou maior cobertura foi o de puérperas com 85,1%, seguido dos povos indígenas (78.2%), e pelas gestantes (78%) e o menor desempenho alcançado foi para o grupo de trabalhadores da saúde com 68,4%. [3]

 

A nova temporada de vacinação de gripe no Brasil depende de você, então pegue o seu cartão de vacina e faça a sua parte. 

 

Referências:

  1. Centers for Disease Control and Prevention. Types of Influenza Viruses | CDC [Internet]. [cited 24 Apr 2022]. Available: https://www.cdc.gov/flu/about/viruses/types.htm
  2. World Health Organization. Recommended composition of Influenza virus vaccines for use in the 2022 southern hemisphere Influenza season. 2021. 
  3. BRASIL; Ministério da Saúde; Secretaria de Vigilância em Saúde; Departamento de Imunização e Vigilância de Doenças Transmissíveis; Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações. Informe Técnico 24a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Brasília - DF: Ministério da Saúde; 2022. 
  4. Centers for Disease Control and Prevention. Seasonal Flu Vaccines [Internet]. 2021 [cited 24 Apr 2022]. Available: https://www.cdc.gov/flu/prevent/flushot.htm
  5. Ferdinands JM, Thompson MG, Blanton L, Spencer S, Grant L, Fry AM. Does Influenza vaccination attenuate the severity of breakthrough infections? A narrative review and recommendations for further research. Vaccine. Elsevier; 2021;39: 3678–3695. doi:10.1016/J.VACCINE.2021.05.011
  6. Centers for Disease Control and Prevention. CDC Study Finds Flu Vaccine Saves Children’s Lives | CDC Online Newsroom | CDC [Internet]. [cited 24 Apr 2022]. Available: https://www.cdc.gov/media/releases/2017/p0403-flu-vaccine.html
  7. Centers for Disease Control and Prevention. Influenza-associated Pediatric Mortality [Internet]. [cited 24 Apr 2022]. Available: https://gis.cdc.gov/grasp/fluview/pedfludeath.html

 

 

- Cada artigo publicado no SBlogI é independente e de responsabilidade do próprio autor.

PUBLICADO POR
SBI Comunicação
Colunista Colaborador
ver todos os artigos desse colunista >
OUTROS SBLOGI
A Imunologia em tempos de crise sanitária: por que é fundamental desenvolvermos esta ciência?
SBI Comunicação
21 de outubro de 2022
Série "Aprenda Imunologia" - Você sabe o que é método científico?
SBI Comunicação
21 de outubro de 2022
Série "Aprenda Imunologia" - Pandemia, epidemia ou endemia? Qual a diferença entre elas?
SBI Comunicação
21 de outubro de 2022