Imunologia brasileira presente!
18 de dezembro de 2019
COMPARTILHAR Facebook Twiter Google Plus

Diretoria da SBI faz balanço da gestão 2018-2019, marcada pela promoção da representatividade e do diálogo com a sociedade

 

“Uma gestão pautada pelo diálogo com a sociedade e pela representatividade, com atenção à valorização do trabalho da mulher na ciência.” É assim que os dois últimos anos são definidos pela presidente da SBI na gestão 2018-2019, Claudia Ida Brodskyn. Às vésperas de encerrar seu trabalho à frente da entidade, a Diretoria 2018-2019 avalia os esforços empreendidos no biênio e compartilha com a comunidade imunológica nacional algumas das principais atividades realizadas.

Representações regionais se reuniram pela primeira vez, no Immuno 2019

Do tamanho do Brasil

O imunologista brasileiro ganhou ainda mais representatividade com a eleição inédita, em 2019, de representações regionais. O objetivo foi ampliar o diálogo entre as regiões do país, facilitar a comunicação entre os associados e potencializar o alcance da SBI junto à sociedade. “As regionais têm papel especial - que esperamos ser crescente - na divulgação, organização e centralização de ações locais, além de serem uma ponte para que tenhamos maior conhecimento sobre as expertises de cada região do Brasil”, ressalta Brodskyn. Os representantes foram eleitos em março e empossados na última edição do Congresso Anual da SBI, o Immuno 2019, realizado em outubro, na capital catarinense.

O evento foi um dos maiores já realizados pela SBI, com mais de 800 participantes inscritos e 50 palestrantes convidados, vindos de diversos países. Para levar tudo o que aconteceu a ainda mais gente, a SBI uniu pesquisadores em uma iniciativa de divulgação científica inédita, os ImmunoBirds: um time de cientistas tuiteiros voluntários que repercutiu as atividades do Immuno2019 nas redes sociais ao longo de todo o evento, recebendo orientações da equipe de Comunicação da entidade. A divulgação científica mereceu ainda outros espaços, como o workshop O Poder da Popularização da Ciência, realizado em parceria com a Rede Brasileira de Jornalistas e Comunicadores de Ciência (RedeComCiência), e o minicurso de podcast em imunologia, com o Microbiando.

Uma casa para a SBI

Na ocasião, os associados se reuniram na Assembleia Geral da entidade, que, entre outras resoluções, decidiu que a SBI irá deixar as instalações da Universidade de São Paulo (USP), onde ocupa uma sala cedida pela Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE), no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), para comprar um imóvel que se tornará a sua sede definitiva. Uma comissão foi formada para selecionar e avaliar as possibilidades de imóveis e conduzir o processo. “Trata-se de um desejo antigo e uma necessidade cada vez mais premente. Com o início do processo de compra da sua sede própria, a SBI estabelece mais um marco na sua história de entidade sólida, profissional e independente”, destaca a presidente.

Diálogos multimídia

O ano da SBI foi marcado também por uma série de atividades protagonizadas pela entidade com o objetivo de aproximar ainda mais o conhecimento científico da população.

Para isso, a entidade participou pela segunda vez do maior festival de divulgação científica do mundo, o Pint of Science, abordando a participação feminina no avanço da ciência. Neste ano, foi promovida a mesa “Mulheres pela Ciência - Experiências em Gestão”, que reuniu lideranças científicas femininas para discutir suas próprias experiências e debater os gargalos que separam as mulheres de certas posições na ciência brasileira.

Na semana do Dia da Imunologia, em abril, a SBI envolveu cientistas e influenciadores digitais de diversas áreas, como gastronomia, educação e ativismo, em uma campanha inédita que alcançou mais de 100 mil pessoas em ações de promoção de temas imunológicos nos meios digitais. Além disso, conteúdos especiais foram produzidos por especialistas da SBI, destacando diversas facetas da imunologia ao longo da semana. Ao final, foi realizado o webinar “Adaptações Imunes e Metabólicas para a Vida Após o Nascimento”, com o imunologista Gustavo Menezes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Essa foi a segunda transmissão da série Imuno Webinar SBI-BD, promovida pela entidade em parceria com a BD Biosciences. A iniciativa inédita rendeu ainda os webinars: “Câncer e o sistema imunológico”, com Martin Hernan Bonamino, do Instituto Nacional do Câncer (Inca), em fevereiro; “Biologia integrativa”, com Helder Nakaya, da Universidade de São Paulo (USP), em julho; e “Inflamação, mitocôndrias e genética na cardiopatia chagásica”, com Edecio Cunha Neto, do Instituto do Coração (Incor), em dezembro. A série continua em 2020 e novos temas estão sendo selecionados entre os pesquisadores da SBI.

Apaixonados por Imunologia

Também em parceria com a BD foi promovido o concurso cultural que fez a comunidade de imunologistas brasileiros declarar sua paixão pela ciência imunológica.

O objetivo foi estimular e reconhecer o potencial criativo de quem estuda e trabalha de forma apaixonada nas diversas áreas da imunologia, promovendo novas percepções sobre a ciência e estimulando o seu desenvolvimento por meio de ações de educação e divulgação científica. Teve cordel, arte em crochê, glossário em vídeo, material didático em porcelana, fotografias, desenhos, jogos, história em quadrinhos e muitos outros formatos. Os trabalhos foram classificados em cinco categorias, cada uma com um vencedor: Audiovisual, Imagem e Artes Gráficas, Artes Textuais, Escolas e Surpreenda.

Milhares em rede

Toda essa paixão pela imunologia se revela também na quantidade de gente que cada vez mais se junta à SBI em seus esforços de difundir o conhecimento científico imunológico. Em 2019, ultrapassamos a marca dos 10 mil seguidores no Instagram, plataforma em que, diariamente, a SBI divulga estudos, colaborações científicas, oportunidades de trabalho e parcerias, entre outros conteúdos. Trata-se de uma comunidade de seguidores participativa e que se destaca entre todos os canais de divulgação científica não só pela quantidade, mas pelo engajamento. No Facebook, já somos mais de 43 mil seguidores, igualmente engajados na difusão do conhecimento científico imunológico e no diálogo entre imunologistas e sociedade em geral.

Capacitações e conexões

Além das ações virtuais promovidas pela entidade, a SBI investiu na realização de eventos científicos em diversas cidades do território nacional. Contaram com apoio financeiro e de divulgação 20 eventos realizados nas cidades de Campinas (SP), São Paulo (SP), Salvador (BA), Goiânia (GO), Fortaleza (CE), Ilha do Mel (PR), Rio de Janeiro (RJ), Ribeirão Preto (SP), Cuiabá (MT), Refice (PE) e Cascavel (PR). Somados, os eventos apoiados pela SBI em 2019 reuniram mais de dois mil participantes.

Para a vice-presidente da entidade, Ana Paula Lepique, o apoio a iniciativas locais é uma das frentes de atuação mais importantes da SBI. “A SBI tem a força e a representatividade da imunologia brasileira, que é rica, diversa e presente em todo o território nacional. Nossos esforços sempre foram no sentido de fazer jus a essa diversidade, promovendo iniciativas nacionais e internacionais e, também, locais, fazendo a voz do imunologista brasileiro ecoar por todos os lugares em que ela se faz necessária”, defende.

Política científica e o nosso futuro

Em 2019, essa voz também se fez ouvir na defesa da ciência brasileira, chamando a atenção para os riscos que o Brasil corre de subaproveitar os potenciais da imunologia e de outros campos da ciência por conta dos recentes cortes de verbas para pesquisas e de propostas como a fusão entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A SBI representou a comunidade imunológica brasileira em diversas manifestações de defesa do conhecimento científico nacional, capitaneadas pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e outras entidades científicas parceiras.

“A exemplo do que vem sendo feito ao longo dos anos, vamos seguir vigilantes e atuantes junto à próxima gestão em defesa da imunologia e da ciência nacional, sem a qual não é possível qualquer projeto de desenvolvimento para o país”, garante a presidente da SBI.

Usuário
PUBLICADO POR
comunicação sbi
CATEGORIA DO COLABORADOR
ver todos os artigos desse colunista >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS
SBI EXPLICA: NOVO CORONAVÍRUS - Detalhes Científicos
comunicação sbi
27 de fevereiro de 2020
SBI apoia manifestação contra portaria do MEC que restringe deslocamento de pesquisadores
comunicação sbi
27 de janeiro de 2020
Conheça a Diretoria 2020-2021
comunicação sbi
16 de janeiro de 2020