Pesquisa brasileira identifica que o Sars-CoV-2 pode ser capaz de infectar células do tecido cerebral